segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Para ti

Que esfriem de vez as minhas mãos
Se deixarem de dar calor para aquecer as tuas
Que murchem para sempre os meus lábios
Se não puderem mais provar os teus
Que a noite escura se abata sobre os meus olhos
Se não mais puderem namorar o teu olhar
Que se calem de vez todas as minhas palavras
Se um dia não mais te puder escrever
Que me morra para sempre o amor
Se um dia deixares de me amar
Que se perca o meu pensamento
Se um dia dele quiseres sair
Que os jardins percam todas as cores
Se um dia deixares de ser a minha flor
Que a vida fuja de mim para sempre
Porque sem ti não tem sabor

1 comentário:

R. Sant'Anna disse...

Lindíssima a profusão do teu amor.
Que essa luz me ilumine um dia.

Abraços