sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Grito


Há dias em que tudo farta!

O barulho das ruas.
O som das pessoas.
Cansa quando se tornam fases.
Fica a ausência de tudo, repleta de quases.

Procura-se o vazio onde tudo é intocável.
Um espaço invisível e invencível.
Longe da agonia do dia-a-dia.
Perto do egoísmo. De uma existência fria.

Não há motivo e tudo é desculpa!

O Sol que não brilha.
A Chuva que cai, mas molha pouco.
O vizinho do lado que sorri.
Este Mundo que vive como um louco.

Há dias em que tudo é fastio.
E existir é sacrifício.
Revolta abafada. Nada. Suplício.

1 comentário:

~*Frau Sant'Anna*~ disse...

Estranho, mas gosto de dias assim...
Grande abraço.
Boas festas