quinta-feira, 23 de outubro de 2008

O Exorcismo de Emily Rose


Já tinha visto no cinema (há uns três anos) e ontem confirmei quando voltei a ver em DVD. O Exorcismo de Emily Rose é o melhor filme de terror que me chegou nos últimos anos. Rodada em 2005 e baseada em factos reais, a trama vai sendo desvendada em torno de uma jovem advogada que aceita o caso de um padre acusado de homícidio por negligência.

A acusação baseia a sua teoria no facto de que o padre Moore, convenceu a jovem universitária Emily a abandonar o acompanhamento médico, e a entregar-se aos seus cuidados. Estaria Emily fisicamente doente? Ou espiritualmente possuída? Religiosa convicta, a estudante não hesita em seguir o caminho indicado pelo seu pastor. Durante um ritual exorcista Emily morre. O padre Moore é preso e julgado.

À advogada, Erin Bruner, cabe mostrar ao tribunal que Emily podia estar, de facto, doente. Mas... será assim tão absurdo admitir a outra hipótese? A sentença é no mínimo intrigante.

O Exorcismo de Emily Rose tem tudo o que gosto num filme de terror. É chocante sem ser absurdo. Assustador sem ser óbvio. Faz-nos estremecer sem necessidade de recorrer ao fantástico. Mais importante: é um filme que não nos deixa em paz nos dias após o termos visto.

1 comentário:

Clau disse...

É precisamente por não me deixar em paz nos dias seguintes que nem me atrevo a vê-lo. Admiro os fãs dos filmes de terror, gabo-lhes a coragem, o prazer do desconforto/sofrimento, a capacidade de manter uma certa distância para não cair no medo incapacitante de disfrutar de uma boa história.