segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

O doce sabor do amor...


Uma música doce, numa história do final do século XX a fazer lembrar contos de encantar. Em que princesas se apaixonam por plebeus. No final não poderia faltar, como é óbvio, um "viveram felizem para sempre". Hugh Grant assume o papel de plebeu, homem anónimo que por acaso se cruza com a princesa Julia Roberts, que interpreta uma grande vedeta do cinema mundial.
_
O mundo complexo, típico de uma estrela de Hollywood, entra em conflito com os sentimentos puros de um homem simples, que apenas quer viver um grande amor. Tudo isto parece mais um banal roteiro de uma das dezenas de comédias românticas que todos os anos conhecem a luz do dia. Mas Notting Hill é diferente. Neste filme tudo é feito com conta, peso e medida. Até a banda sonora. Ronan Keating dá voz a When you say nothing at all, que já rola do no Escrito à Noite. Mas há mais... há Sting, e também Elvis Costello.
_
Todo este conjunto de delícias faz com que, quando penso nos meus filmes preferidos, pense, invariavelmente, em Notting Hill. Não é um grande filme... mas tem algo que o torna inesquecível. Não acham?

2 comentários:

Patrícia disse...

Acho.Também é dos meus filmes preferidos, é daqueles que me apetece rever de vez em quando. É encantador.

Anónimo disse...

um dos mts meus preferidos ...... como todos os outros da Julia ..... mas sem duvida um filme encantador ... e inesquecivel.