quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Cartas Perdidas - Parte 3


A porta abre-se e fecha-se. O movimento é continuo como o meu olhar. Cada vez mais triste, vejo a hora a passar do costume sem que tu apareças na confeitaria. Quando falhas o ponto de encontro a bica e a nata de Belém têm um travo a tédio rotineiro. Desde que te vi que és o sabor das coisas. Fui para a esplanada. É Verão, e o Sol lá do alto, espreguiça-se pelas margens do Tejo. As mesmas onde sonho um dia passear protegido pela tua sombrinha, dar-te a mão e roubar-te um beijo.

Continuas sem aparecer. E eu distraio a ansiedade com estas cartas que te escrevo. Todas sem destino. Continuo a perder-me por entre pensamentos nossos que são só meus. Trago guardadas muitas mais palavras para te escrever. Revirei o meu bolso e encontrei estas:

Acordo contigo nos olhos
Passo a noite a escrever-te meus sonhos
De dia conto os segundos para te ver
São sempre demais. E fazem-me sofrer...
Queria ter o dom dos poetas,
Esquecer o medo, e dizer-te as palavras certas.
Tenho vontade de te contar meu amor.
Ir até à lua e trazer-te uma flôr.
Por ti posso ser tudo. Músico ou astronauta.
Posso até descrever teu sorriso numa pauta...

O Sol já enfraqueceu. Não apareceste... Vou-te mandar esta carta pelo rio.

4 comentários:

Elsa disse...

Lindo!
Lindo!
Lindo!
Já estou ansiosa pela número 4! :)
beijos*

Ingrid disse...

Estas apaixonado, caro colega? Ou as cartas não têm destinatárias concretas? ! Fiz o mesmo há alguns anos, no meu blog (www.dizembucha.blogger.com.br). Bom... fico por aqui. Abs procê.
P.S. Apenas um “toque”: melhor seria se colocasse uma fonte com maior contraste ao fundo. Do modo que esta dificulta a leitura daqueles desprovidos de uma visão perfeita.

samwise disse...

fantástico..consegues transmitir uma nostalgia..pareçes um trovador!eheh,com essa capacidade de escrever o que o coração exprime,espero que a tua musa se delicie com estas "serenatas indirectas.." boa sorte no amor camarada..mereces..

~*Ray*~ disse...

Lindo!
Achei a mais bela de todas as cartas perdidas...
Gosta de Florbela Espanca?

um abraço!

Ah, já estás em meu blog!