segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Quase...

Perdido na passada inexorável do tic tac do tempo,

Sigo ficando sem Ti.
Procuro-Te por toda a parte.
Vou tic tacteando...
Revolvo mil sonhos por noite,
Numa busca automática
De uma sintonia impossível.
Entre mim... e mais alguém.
Que devias ser Tu.

Acordo todos os dias
Com o amargo sabor do quase.
Quase Te senti. Quase Te toquei.
Quase Foste minha. E amargo.
Porque o quase é a quantidade
Incontável de mundo...
Que nos separa.

Sem comentários: