segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Pedaços de vida... Os que me lembro.

Lembro-me bem daqueles dias.
Em que me davas vida,
Sempre que sorrias.
Sim. Lembro-me bem desses dias.
Em que o Sol brilhava mais,
Mesmo quando chovia...
Lembro-me de ser incapaz de ser triste
Lembro-me de te dizer,
Que além de ti nada mais existe.
Lembro-me de te sentir sempre por perto.
Agora não estás,
E eu sinto-me um deserto.
Onde o Sol não brilha.
Só queima.
Onde não há música,
E apenas a solidão teima...

1 comentário:

Anónimo disse...

É difícil dizer adeus quando se quer ficar, é difícil sorrir quando se quer chorar, é difícil ter que esquecer quando se quer amar....
O tempo passou, eu conheci-te, cheguei a amar-te e enlouqueci...Tudo mudou, o tempo parou, a tempestade caiu e tu ficaste. Envolvi nos meus sonhos o teu papel, embolei e embrulhei, porque tu és meu no meu espaço, com o tempo certo, eu e tu atraídos e misturados, vivemos, cantamos e estamos juntos... AMO-TE!