sábado, 26 de maio de 2007

Há noites em que gostava de escrever assim...


Pela simplicidade. Pela Força. Pela sensualidade...
Pela súbita certeza que se apresenta em Pessoa.
Porque parece impelir-nos a agir.
A fazer sem pensar e só a sentir.
É por isso um dos meus preferidos.

Com a devida reverência, aqui fica. Espero que gostem.

Não! Não digas nada!
Supor o que dirá
A tua boca velada
É ouvi-lo já.

É ouvi-lo melhor
Do que o dirias.
O que és não vem à flor
Das frases e dos dias.

És melhor do que tu.
Não digas nada: sê!
Graça do corpo nu
Que invisível se vê.

Fernado Pessoa

2 comentários:

Patrícia disse...

Também gosto muito.

Paulllus disse...

Fernando Pessoa

Sou o Espírito da Treva

Sou o Espírito da treva,
A Noite me traz e leva;
Moro à beira irreal da Vida,
Sua onda indefinida
Refresca-me a alma de espuma...
Pra além do mar há a bruma...
E pra aquém? há Cousa ou Fim?
Nunca olhei para trás de mim...

O Grande Fernando Pessoa também gostava especialmente da noite. Se no seu tempo houvessem blogs, concerteza qu o dele também seria Escrito à Noite ;) ...